Terça-feira, 29 de Janeiro de 2008
Campanha dos Nossos Colegas

                                                          

O blogue Herbário durante 2008 vai oferecer sementes de azevinhos a quem estiver interessado. Assim poderemos todos contribuir de forma simples para a preservação de plantas autóctones. Aos interessados pedimos que enviem uma mensagem para o nosso e-mail, adubinhos@hotmail.com, com a vossa morada. Participe, semeando azevinhos em vasos que depois poderá transplantar para o seu quintal! Informamos que as sementes são recolhidas de azevinhos de jardim e não pretendemos de forma alguma infringir ou desrespeitar a legislação que protege os azevinhos selvagens. Muito obrigado por colaborar, pensamos que estas pequenas iniciativas, juntas, farão a diferença no futuro!



publicado por H2O às 10:34
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2008
Saída de Campo

No passado dia 14 de Janeiro, visitamos o departamento de planeamento e do ambiente da Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, com o objectivo de esclarecer algumas dúvidas.

Começamos a nossa visita pelo departamento de planeamento, onde nos foram esclarecidos vários pontos em relação ao PDM (Planos Directores Municipais), entre os quais a construção de novas vias e novos edifícios, tendo em conta o impacto ambiental, o relevo, os recursos naturais e o desenvolvimento sustentado da vila.

Apercebemo-nos que as tarefas idealizadas para renovar e inovar a nossa vila são boas, no entanto, muitas vezes não existem condições económicas ou há discórdias entre os projectos da Câmara e os interesses dos munícipes.

           

Quando passamos ao departamento ambiental, ficamos logo desapontados ao sabermos que não existiam métodos para gerir os recursos hídricos, havendo “descargas de emergência” para os rios. Estas descargas devem-se sobretudo à não existência de uma estação de tratamento de águas no concelho.

Em relação à falta de saneamento foi-nos dito que apenas 40% do concelho tem esse “privilégio”. Assim, concluímos que mais de metade da população ainda não tem estas condições, estando prevista a implementação de saneamento básico em todo o concelho apenas para 2013.

No final da nossa visita, através das informações que nos foram cedidas concluímos que apesar de a água no nosso concelho ser um recurso abundante e essencial, infelizmente não é considerado como tal pois pelo que conseguimos apurar não é englobado nos futuros planos de desenvolvimento do concelho como potencial fonte de sustentabilidade.   

 



publicado por H2O às 10:56
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2008
Autópsia ao rio Vouga

Várias entidades ambientalistas afirmam que estamos a destruir a terra. As mentes mais iluminadas do planeta confirmam que ao contaminar as águas dos rios, estamos a destruir um recurso fundamental.

A mandatária, para os recursos mais desfavorecidos, assegura que os nossos rios nem estão muito poluídos. Ali existem apenas alguns pneus encalhados nas margens, pequenos esgotos domésticos a serem desaguados, alguns plásticos que ninguém sabe de onde vieram e uma ligeira espuma branca, que fica sempre a condizer com as águas sombrias.

Neste mundo de faz de conta, vamos também imaginar …

Dizem que os rios estão a ser bastante ameaçados - em risco de morrer. E se o nosso rio Vouga e afluentes morressem mesmo, a quem iríamos pedir responsabilidades?! -Á câmara, á industria, á população? - Ninguém sabe! A fim de apurar alguns factos, alguém teve a infeliz ideia de autopsiar o rio... o resultado não podia ser mais incoerente.

Como estamos em Portugal, e o que o nosso povo gosta é de ver questões polémicas serem discutidas, (mas não resolvidas porque devem ser discutidas novamente) foram solicitados para desvendar este crime, os nossos comentadores habituais: o criminologista, Xico Mata Flores, e o médico legista Pintassilgo da Costa. Este, depois de muita filosofia sem nexo, não aponta uma causa para tal desfecho, enquanto que, o nosso comentador habitual, Xico Mata Flores, após várias críticas estúpidas, pede a intervenção de um ambientalista, que afirma ter dados suficientes para demonstrar que o rio não terá sido vítima de um homicídio, mas sim de uma negligência grosseira, contra a nossa própria espécie, e contra todo o ecossistema.

A conclusão apresentada não podia ser diferente. O ser humano é o presumível culpado pelo homicídio do rio Vouga. A pena imposta pela Mãe Terra não vai ser nada leve, antes pelo contrário, esta, irá ser bastante pesada, pelo facto deste recurso agora escasso, não mais poder ser livremente aproveitado.

A nossa única hipótese é pedir recurso, ou seja, tentar atenuar a pena. Para isso devemos exigir, a todos sem excepção, o respeito pela natureza e a manutenção de um rio limpo e saudável. Não tenhamos ilusões, já que os únicos responsáveis por tudo isto, e no futuro as próximas vítimas, iremos ser todos nós.

Esta ideia pode ser no mínimo irónica ou absurda, mas não tanto assim, já que alguém tem que ser responsabilizado pela destruição deste recurso natural, que é bastante importante na nossa região. Não apenas a nível de saúde pública, mas também a nível turístico e económico. Ainda estamos a tempo de fazer alguma coisa. 

No meio de tudo isto, é triste verificar que os pescadores que tanto apreciam a natureza, andem a dar banho á minhoca, uma vez que agora, existem tantos peixes no rio como banhistas no Inverno.

 

Imagem: fishing on Penobscot, Steven Mulak



publicado por H2O às 11:08
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 7 de Janeiro de 2008
Negligência? Ou simples despudor…

No passado dia 6 de Novembro e no âmbito de um trabalho que pretendemos realizar, partimos à aventura por três dos rios que percorrem a nossa região – Vouga, Sul e Trouço. A ideia inicial era fazer uma recolha fotográfica, bem como inteirarmo-nos no local, das condições apresentadas por aqueles cursos de água.

 

Ao longo do percurso fomo-nos apercebendo, por um lado, do valioso património que possuímos a nível dos recursos hídricos, por outro vimos indícios suficientes para ficarmos com alguma preocupação relativa ao seu futuro, na eventualidade de nada ser feito para a sua preservação. Uma análise laboratorial poderia trazer muito mais dados objectivos sobre o verdadeiro estado dos rios; contudo e apenas na observação superficial é possível fazer-se um balanço do seu estado de degradação:

 

O Vouga apresenta já uma turvação considerável e em alguns pontos das suas margens apresenta resíduos, tais como plásticos, pneus de automóveis e outros detritos que foram ali abandonados ao longo do tempo. Havia também alguns tubos para sucção de água (pouco preocupante); já uns outros de maior calibre deixavam adivinhar descargas esporádicas…

O rio Trouço, é dos três o que aparenta melhor saúde, não apresentando grande turvação nem a mesma quantidade de resíduos provenientes da actividade humana.

O Sul apresenta uma pequena turvação, embora não sendo ainda demasiado pronunciada (menor que a do Vouga); esta situação pode agravar-se se não forem tomadas medidas para preservar e proteger as suas águas.

 

O ponto que nos permite uma percepção mais rigorosa da dimensão relativa do estado dos três rios foi a área onde eles se juntam, formando um só. Nesse ponto a água do Vouga, onde os outros desaguam, apresenta agora uma turvação muito mais visível, agravada em grande parte pelas descargas sanitárias de algumas habitações. Observámos também um pequeno ribeiro cujo cheiro nauseabundo impregnava o ar, mesmo a uma distância considerável. As suas águas apresentavam uma cor acinzentada, espuma e óleos lubrificantes provenientes das lavagens de automóveis e de resíduos de habitações. Estas águas vão desaguar directamente para o nosso rio, afectando não só as suas águas, mas também todos os seres vivos que delas dependem.

 

As fotografias efectuadas documentam uma realidade que não podemos nem devemos ignorar. Entristeceu-nos o facto de uma área ainda bonita poder vir a deixar de o ser e um agradável passeio a beira-rio, poder vir a transformar-se numa espécie de homenagem a negligência humana.

 

A água, o mais precioso dos líquidos e tema do nosso trabalho, vai ser a nossa preocupação e contamos usar as armas que conseguirmos reunir para lutar pela qualidade desta, porque sabemos que ao fazê-lo estamos a lutar por uma vida mais salutar. A ajuda de todos é imprescindível.

Vamos preservar a água!  

    

In jornal escolar “Pssst!!!”

 



publicado por H2O às 18:44
link do post | comentar | favorito

Plano Nacional de Barragens

O Plano nacional de barragens com elevado potencial eléctrico (PNBEPH) engloba a construção de 10 barragens em todo o país, sendo uma delas em Pinhosão, freguesia de Pinho, concelho de S. Pedro do Sul.

O investimento neste plano é de 1.140 milhões de euros, pretendendo-se aumentar a capacidade hídrica instalada no país em mais 1.100MW.

Este plano tem por objectivo alcançar uma potência hídrica de 7 mil MW, aproveitando 67% do potencial hídrico do país.

        

A futura barragem de Pinhosão será de média dimensão, com um investimento de cerca de 109 milhões de euros e 77 mega watts (MW) de potência instalada. O rendimento energético anual desta será de 106 GWh. 

Com esta construção o rio Vouga passará a possuir duas barragens ao longo da sua extensão, uma em Pinhosão e outra em Ribeiradio (concelho de Oliveira de Frades).

Baseado em "Noticias de Lafões" (11/10/2007)



publicado por H2O às 11:59
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

posts recentes

Preservação dos lençóis f...

Algumas Fotos dos Recurso...

A Impermeabilidade dos So...

Dia mundial da água

Estação de recolha de Águ...

Visita à ETAR S. Pedro do...

A nossa rede hidrográfica

Campanha dos Nossos Coleg...

Saída de Campo

Autópsia ao rio Vouga

visitas
contadores de visitas
contadores de visitas
tags

todas as tags

links
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


as minhas fotos
blogs SAPO
subscrever feeds