Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007
Águas Termais

Termas - S. Pedro do Sul

                                                         ( Fonte nas Termas de S. Pedro do Sul )

    

A água mineral natural das Termas de São Pedro do Sul apresenta-se francamente mineralizada (356 mg/l), com reacção muito alcalina (8,35 < pH < 9,00) e macia. Em termos iónicos designa-se por bicarbonatada sódica, carbonatada, fluoretada, sulfídratada sódica e fortemente silicatada.

* mineralização total – 303.4;

* sulfuração total -  22.8;

* Alcalinidade total – 23;

* Dureza - 0.8.

A exploração é feita em nascente artesiana “nascente termal” com um caudal de 10 L/s que emerge á superfície à temperatura de 68.7ºC com o pH de 8.89 a 18ºC.

A água mineral natural provém de um aquífero muito profundo, brotando naturalmente do interior da terra com elevada estabilidade físico-química e pureza biológica (total ausência de germes nocivos e patogénicos).

Nas Termas de São Pedro do Sul são conhecidas desde a antiguidade seis nascentes de água termal. Actualmente, os balneários podem ser abastecidos pela Nascente Tradicional (NT) e pelo Furo AC1 (Captação de 500 metros de profundidade), que se localizam a poucas dezenas de metros do Balneário Rainha D. Amélia, para sul. As duas captações em simultâneo têm a capacidade máxima, um total de 17 litros por segundo (61200 litros/hora, ou ainda 1 468 800 litros por dia).

Mas como a água termal é captada naturalmente quente, é preciso arrefece-la para poder ser aplicada nos tratamentos a cerca de 37ºC

A energia resultante deste arrefecimento, por um processo de permuta, é usada para fornecer a vários consumidores na zona das Termas. Actualmente esta energia é utilizada para aquecer o ambiente de algumas unidades hoteleiras e ainda os Balneários, bem como as águas sanitárias daquelas unidades.

 



publicado por H2O às 14:52
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2007
Processo de tratamento de efluentes

Existe vários processos na ETAR para tratar os efluentes que passam primeiramente pela gradagem, o desengorduramento, o desarenamento; seguido de um tratamento biológico de gorduras; de uma decantação lamelar e uma nitrificação/desnitrificação. A ETAR recebe os efluentes por intermédio de quatro contentores. Existe uma câmara de mistura onde se faz a junção das águas brutas que serão posteriormente dirigidas para um conjunto de grades com um sistema de limpeza automático. É graças a um transportador-compactador que os resíduos são extraídos e enviados para um contentor de armazenamento.

Þ    Pré-tratamento constituído por gradagem, desengorduramento e desarenamento:

 

A gradagem vai eliminar os resíduos, de modo a proteger a decantação lamelar situada a jusante. A medição do caudal é feita num canal Parshall através de ma sonda ultrasonica. Depois da gradagem, as aguas passam pelo desarenamento/desengordurante que se realizem juntos equipados com turbinas de difusão de ar e uma ponta raspadora e extractora de areias. Depois de realizar uma flutuação das matérias oleosas, há uma recolha automatizadas areias e das gorduras.

 

Þ    Tratamento Biológico de Gorduras:

 

Depois da recolha das gorduras no processo de desarenamento/desengordurante, essas são recolhidas num tanque onde elas serão degradas biologicamente. Este tratamento numa agitação que ira levar a homogeneização do efluente e o arejamento. Essa agitação permite a degradação de moléculas complexas (gorduras). O processo de tratamento biológico de gorduras dispõe de um ajuste de temperatura e de pH.

 

Þ    Decantação lamelar (Tratamento Primário):

 

Os efluentes resultantes do pré-tratamento são submetidos a uma decantação primária em duas unidades rectangulares, as lamas são raspadas do fundo e extraídas por bombagem pode haver uma adição de químicos.

 

Þ    Nitrificação/desnitrificação em baixo carga (Tratamento Secundário):

 

A degradação da matéria orgânica, assim como os nutrientes (azoto e fósforo), tem lugar nos tanques biológicos. Esses tanques são constituídos por duas zonas diferenciadas. A zona anóxica onde ocorre a desnitrificaçao e na zona aeróbia ocorre a nitrificaçao. A água é separada da biomassa nos decantadores, para clarificar a água e poder reutilizar a matéria viva para realimentar os tanques biológicos e para garantir que a massa de lamas corresponda à carga massica de funcionamento.

 

Þ    Desinfecção (Tratamento Terciário):

 

A desinfecção bacteriológica da água é feita por radiação ultravioleta.



publicado por H2O às 13:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Águas Subterrâneas:

    

As águas subterrâneas são um recurso natural indispensável para a vida e para a integridade dos ecossistemas, representando mais de 95% das reservas de água doce exploráveis do globo terrestre.

 

As águas subterrâneas resultam da infiltração da água proveniente da precipitação e dos rios, formando os lençóis freáticos.

Para a captação das águas subterrâneas, utilizadas normalmente para a rega de pequenos terrenos ou consumo doméstico, recorre-se a diversas estruturas como poços e furos artesianos.

A água subterrânea, que possa ser utilizada para consumo doméstico, é cada vez mais escassa á medida que a população, a indústria e a agricultura se expandem.

Ao contrário dos rios e dos lagos, estas reservas uma vez contaminadas, o seu estado é quase irreversível, pois a água subterrânea não recebe oxigénio atmosférico e a sua capacidade de auto purificação é muito baixa.

 

A poluição das águas subterrâneas na nossa região deve-se essencialmente ao uso intensivo de adubos e pesticidas em actividades agrícolas, à deposição de resíduos industriais sólidos e líquidos, deposição de lixos urbanos e aterros, deposição de dejectos de animais resultantes da actividade agropecuária e construção incorrecta de fossas sépticas.

A construção incorrecta de fossas sépticas deve-se muitas vezes á falta de saneamento básico nas localidades rurais.

A construção de saneamento necessita de um elevado investimento em obras e constantes melhoramentos, o que faz com que muitas vezes este tipo de estruturas seja inexistente ou pouco eficaz.

A falta de saneamento nos meios rurais leva à construção de fossas sépticas feitas no local, o que aumenta o risco de contaminação das águas subterrâneas.

Uma alternativa para evitar este tipo de contaminação é o uso de fossas sépticas pré-fabricadas, na medida em que são uma mais valia no combate a doenças e contaminação da água, pois evitam o lançamento de dejectos humanos directamente em rios, lagos ou mesmo na superfície do solo.

Em suma, a captação de água subterrânea para aumentar o fornecimento de água deveria ser evitada a todo o custo – a menos que se garanta que o lençol freático de onde se tira a água seja reabastecido. Como a água subterrânea se mantém fora do alcance das nossas vistas, pode-se tornar contaminada gradualmente, sem despertar a nossa atenção, sendo muitas vezes tarde de mais para reverter o dano causado pela poluição.

Assim, a única abordagem racional é evitar a contaminação.



publicado por H2O às 13:03
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

mais sobre mim
arquivos

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

posts recentes

Preservação dos lençóis f...

Algumas Fotos dos Recurso...

A Impermeabilidade dos So...

Dia mundial da água

Estação de recolha de Águ...

Visita à ETAR S. Pedro do...

A nossa rede hidrográfica

Campanha dos Nossos Coleg...

Saída de Campo

Autópsia ao rio Vouga

visitas
contadores de visitas
contadores de visitas
tags

todas as tags

links
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


as minhas fotos
blogs SAPO
subscrever feeds