Terça-feira, 29 de Abril de 2008
A Impermeabilidade dos Solos

No passado dia 9 de Abril, devido à elevada pluviosidade que se fez sentir,

a água das chuvas transpôs as barreiras arquitectónicas existentes para a conduzir e espalhou-se por todo o espaço exterior da nossa escola. A água era tanta que cobriu as escadas de acesso ao bloco B, proporcionando um efeito mais vulgar nos rios ou ribeiros do que nas nossas escadas. O acesso por estas ficou impedido durante algum tempo.

O facto de a pluviosidade ser abundante num curto espaço de tempo não traz, ao contrário do que o saber empírico possa afirmar, benefícios para a qualidade do solo. Com as chuvas abundantes, o solo não consegue absorver tanta quantidade de água num espaço de tempo tão curto, o que vai fazer com que a água escorra pelos solos lavando-os das suas partículas superficiais e provocando a lixiviação dos solos, tornando-os mais estéreis.

Um exemplo objectivo deste fenómeno é o facto dos solos que foram sujeitos a incêndios e depois submetidos a intensa pluviosidade, apresentarem uma vegetação escassa ou mesmo ausência dela. Este aspecto deve-se ao facto de depois do incêndio o solo ficar exposto e como tal ficar muito vulnerável. As cinzas que o cobrem e o facto de a manta morta e a cobertura vegetal terem sido destruídas contribui de forma decisiva para o efeito demolidor que a pluviosidade tem nestes espaços. Obviamente que se a pluviosidade for abundante pode arrastar uma grande camada superficial que contem as sementes, reduzindo-lhe assim a oportunidade de se refazer.

Tanto os incêndios como a desflorestação provocam ausência de vegetação no solo, ficando assim a sua capacidade de estabilização reduzida, pois é com a ajuda destas raízes que se cria um efeito de reforço do solo, principalmente nas zonas de vertente. Nestas zonas a ausência de vegetação é muito grave pois pode provocar movimentos em massa tão violentos, que arrastam tudo o que encontram à sua frente.

Nos espaços urbanos, verifica-se com mais facilidade a exuberância de algumas cheias porque o solo nestes espaços é mais impermeável devido á existência de estruturas criadas pelo homem, tal como estradas e calçadas, que normalmente são constituídas por materiais com reduzida ou nula permeabilidade. A água das chuvas irá assim percorrer com mais abundância as ruas com maior declive, indo parar aos rios ou noutra perspectiva agravada, provocar inundações das ruas e das habitações situadas em zonas ribeirinhas ou muito baixas, com todos os danos que isso possa implicar. 

Esta impermeabilidade afecta também os recursos hídricos subterrâneos. Uma vez que a água superficial não se vai infiltrar no solo, também não irá aumentar o volume dos lençóis freáticos e como consequência, irão sofrer uma morte lenta devido à redução gradual da reposição da água explorada pelo homem, levando em alguns casos ao aumento da escassez de água nas épocas do ano em que as temperaturas são mais elevadas.

Infelizmente o homem não tem meios capazes de controlar esta força da Natureza e impedir assim algumas consequências destas chuvas; tal como inundações das habitações; a esterilidade do solo ou até mesmo a seca em algumas regiões. Contudo temos de ter em atenção que estes exageros por parte das forças da natureza têm vindo a aumentar nos últimos anos, consequência da negligência do homem, pois ele tem contribuído em muito para a degradação do equilíbrio ambiental, mostrando que a expressão “cada um colhe aquilo que semeia” se aplica neste contexto.

  

 



publicado por H2O às 19:18
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
Horas
arquivos

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

posts recentes

Preservação dos lençóis f...

Algumas Fotos dos Recurso...

A Impermeabilidade dos So...

Dia mundial da água

Estação de recolha de Águ...

Visita à ETAR S. Pedro do...

A nossa rede hidrográfica

Campanha dos Nossos Coleg...

Saída de Campo

Autópsia ao rio Vouga

visitas
contadores de visitas
contadores de visitas
tags

todas as tags

links
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


as minhas fotos
cbox

blogs SAPO
subscrever feeds